Os jardins verticais, também conhecidos como paredes verdes, vêm se tornando tendência por conta de sua praticidade aliada aos benefícios para os moradores

Thiago Papadopoli

De forma gradativa tomam espaço nas casas, apartamentos e  escritórios, se adequando a vida agitada da população com até mesmo sistema de irrigação.

De acordo com o arquiteto Thiago Papadopoli, o jardim vertical, além de ser bonito, deixa o ambiente mais fresco, contribui para o controle da umidade trazendo benefícios a saúde e deixando os ambientes mais agradáveis. Além disso, ele existe há muito tempo. “Não sei precisar exatamente, mas é possível ver em livros que os romanos já usavam técnicas similares, no entanto, foi esquecido com o surgimento da tecnologia e aparecimento de diversos materiais que levaram as pessoas a esquecer um pouco de todos os benefícios que a natureza nos traz”.

Para os que desejam ter este projeto em casa, o ponto de partida é gostar de cuidar de plantas, em sequência deve-se escolher o local adequado, sendo mais indicado uma varanda por conta do cuidado. Porém, os jardins também podem ser feitos nas salas, cozinhas, ou qualquer outro cômodo, visando sempre a atenção a planta e sua irrigação.

Escolhido o local, o próximo passo é a análise do tipo de planta que será utilizada e sua adequação ao lugar, como onde há luz e a ventilação. Vale ressaltar que todo tamanho de espaço é possível, uma vez que também existem os quadros vivos. “ O ideal é escolher plantas que avancem, como samambaia, véu de noiva, dólar, dinheiro em penca”, explica Papadopoli.

Outro ponto para a confecção do jardim vertical é a armação que será utilizada, a mais simples é uma de alumínio que encaixa caixas de plástico para as plantas. Existem também blocos de concreto que já são feitos com o designer para as plantas. Ademais, existem os blocos de cerâmica, quadro vivo, que é realmente um quadro de madeira onde as plantas são encaixadas.

As opções recicláveis também existem, que é o caso da garrafa pet, onde se planta dentro delas e pendura. “Esta opção está muito em alta, principalmente em escolas, porque as crianças podem plantar e até personalizar pintando”, conta o arquiteto.

É ideal contratar uma empresa que irá cuidar disso, pensando no melhor local, na forma de rega, como o excesso de água será drenado, se não haverá necessidade de impermeabilizar a superfície, e ainda qual o melhor tipo de planta.

“O preço para a confecção de um jardim vertical ou parede verde, vai variar de acordo com o tipo de estrutura, as mais complexas variam de 600 o metro quadrado, como o caso da foto e com irrigação própria. Se fizer um sistema mais simples como o bloco, sai por volta de 200, a garrafa pet sai muito mais barato por ser reciclagem”, finaliza o arquiteto.

Serviço:
Thiago Papadopoli
(11) 4063-8831 / 4436-9823
http://www.thiagopapadopoli.com.br


<<<Voltar