Os elementos suspensos estão em voga na arquitetura e decoração como peças-chave na organização e otimização do espaço. Além disso, trazem mais fluidez e leveza para o ambiente
flutuantes

Projeto Júnior Piacesi e Denise Macedo com escadas e luminárias suspensas / Arquiteta Flávia Roscoe: marcenaria sob medida de maneira suspensa / Júnior Piacesi com bancada em mármore suspenso

Um dos grandes desafios da arquitetura de interiores é a otimização dos espaços, principalmente para quem mora em imóveis pequenos. Uma aposta valiosa dos profissionais da área neste tipo de projeto são os elementos suspensos, grandes aliados para uma melhor circulação dentro dos ambientes, aproveitamento dos espaços e, também, interação das pessoas naquele local.

Prateleiras, nichos, bancadas, iluminação, poltronas e escadas entram nesse hall de elementos que podem ficar suspensos, garantindo um melhor fluxo ou mesmo visibilidade do ambiente, como explica o arquiteto Junior Piacesi. “Ao analisar um espaço, às vezes as pessoas veem somente o ambiente em 2D e esquecem que há, também, o espaço aéreo que pode auxiliar na melhora do fluxo e aproveitamento do ambiente. Quando você insere um elemento flutuante, você traz uma sensação de leveza para o espaço. A iluminação flutuante, por exemplo, é um elemento que estamos usando muito agora, pois além de trazer leveza ela aproxima a claridade para o espaço, como em ambientes que possuem um pé direito mais alto. Mesmo com a escala arquitetônica e a amplitude espacial, as luminárias suspensas podem trazer uma iluminação para perto de quem está utilizando o cômodo no momento”, exemplifica.
Ler mais Leia+Mais→