Os elementos suspensos estão em voga na arquitetura e decoração como peças-chave na organização e otimização do espaço. Além disso, trazem mais fluidez e leveza para o ambiente
flutuantes

Projeto Júnior Piacesi e Denise Macedo com escadas e luminárias suspensas / Arquiteta Flávia Roscoe: marcenaria sob medida de maneira suspensa / Júnior Piacesi com bancada em mármore suspenso

Um dos grandes desafios da arquitetura de interiores é a otimização dos espaços, principalmente para quem mora em imóveis pequenos. Uma aposta valiosa dos profissionais da área neste tipo de projeto são os elementos suspensos, grandes aliados para uma melhor circulação dentro dos ambientes, aproveitamento dos espaços e, também, interação das pessoas naquele local.

Prateleiras, nichos, bancadas, iluminação, poltronas e escadas entram nesse hall de elementos que podem ficar suspensos, garantindo um melhor fluxo ou mesmo visibilidade do ambiente, como explica o arquiteto Junior Piacesi. “Ao analisar um espaço, às vezes as pessoas veem somente o ambiente em 2D e esquecem que há, também, o espaço aéreo que pode auxiliar na melhora do fluxo e aproveitamento do ambiente. Quando você insere um elemento flutuante, você traz uma sensação de leveza para o espaço. A iluminação flutuante, por exemplo, é um elemento que estamos usando muito agora, pois além de trazer leveza ela aproxima a claridade para o espaço, como em ambientes que possuem um pé direito mais alto. Mesmo com a escala arquitetônica e a amplitude espacial, as luminárias suspensas podem trazer uma iluminação para perto de quem está utilizando o cômodo no momento”, exemplifica.

A arquiteta Flávia Roscoe complementa, ao ressaltar a funcionalidade dos elementos suspensos no projeto e, também, alerta sobre a instalação dos mesmos. “Eles entram em situações em que o objetivo é proporcionar elementos de apoio ou funcionais, mantendo a leveza do espaço. São peças versáteis e proporcionam montagens muito interessantes. Podemos usar o recurso de ter peças suspensas em bancadas, lavabos, espaços gourmet e em outras situações em que haja condições de apoio. É preciso, porém, avaliar o peso da peça e a parede que irá recebê-la para que possa ser considerada a segurança da colocação ou para que se adeque o local onde ela será condicionada”, pontua.

Júnior Piacesi ratifica a questão da segurança na instalação de elementos suspensos e dá uma dica de material a ser utilizado nestes complementos flutuantes. “O detalhamento para estes elementos na hora da execução de um projeto é muito maior, pois necessita considerar o peso para manter a estrutura. Além disso, é necessário ser bem atento, pois o móvel ou elemento precisa criar uma ilusão de ótica, dando a sensação que se está, realmente, flutuando. Usamos muito as chapas metálicas, pois são materiais rígidos e leves, fáceis de modular e capazes de trazer essa leveza suspensa que queremos. Os elementos suspensos, além de proporcionarem um conforto material e funcional, também é um conforto visual”, encerra.

Serviço:
Júnior Piacesi
(31) 3227-7861
http://piacesi.com

Flávia Roscoe
(31) 3282-7614
http://www.roscoearquitetura.com.br/


[início]

 

Voltar