Tornar particular e significante os encontros entre membros de uma mesma família. Respeitar as individualidades, fortalecendo-as para que se somem e criem o coletivo. A decoração pode ser muito mais que o melhor aproveitamento de espaços em uma casa
Fabiana Visacro

Nestes projetos de Fabiana Visacro: a individualidade do casal foi garantida por meio dos armários e cubas individuais; a autonomia da criança é um dos focos principais

Um conceito pouco explorado, mas que vem ganhando espaço nas mãos de quem entende do assunto é a decoração afetiva. Trata-se de projetos focados em oferecer ao cliente prazer e autonomia por meio da criação de um universo particular propício ao crescimento e aprendizado individual, o que acaba por otimizar a convivência com demais usuários do espaço.

A designer de interiores Fabiana Visacro dá mais detalhes desse conceito. “Um projeto afetivo viabiliza o jeito de viver de cada um. Compreende e torna compreensível o lugar que cada uma das pessoas ocupa em suas famílias, em seus lares. A proposta é individualizar para coletivizar. Criar espaços legítimos e representativos e fazer com que as pessoas percebam que o seu espaço físico fala de como é único o seu jeito de viver, de construir relações”, acrescenta.

Fabiana, que também é formada em psicologia, usa desse conhecimento para projetar espaços afetivos com mais sensibilidade e eficácia. “A proposta é aproximar as pessoas um pouco mais da sua própria história, permitir que elas descubram o que as fazem felizes e retratar isso no dia a dia como forma de restaurar, recuperar, vitalizar sua rotina e suas relações familiares, tornando-as mais potentes. Por isso, o conhecimento em psicologia é um diferencial”, destaca a profissional.

Nesse tipo de projeto, os pontos de armazenamento são essenciais. “Os pontos de armazenamento criam uma logística que simplifica o dia a dia e diminui o estresse causado por coisas bobas. Um casal que sai cedo para trabalhar não precisa mais disputar espaço se houver um armário para cada um no banheiro que separe e organize suas coisas. Dessa forma se respeita a individualidade para o bem coletivo”, exemplifica Fabiana.

Se a casa tem crianças e adolescentes, eles são considerados como parte importante do processo. “Cria-se espaços atrativos para que os adolescentes sejam induzidos a dar sua cota de colaboração em casa, além da designação de um espaço físico para que outras pessoas possam participar mais efetivamente no dia a dia desse jovem. Para as crianças, o intuito é idealizar um ambiente onde elas realizem atividades rotineiras, como estudar, de uma forma mais autônoma”, destaca a designer.

O casal também ganha atenção especial na decoração afetiva. O quarto é pensado para que seja um verdadeiro refúgio. Assim, ao fechar a porta, o casal se esquece de todos os problemas do dia e podem estar mais próximos e íntimos, fortalecendo essa relação.

A decoração afetiva se destaca em relação às outras por projetar para fortalecer os laços familiares. Esse preceito norteia todo o projeto, antes de qualquer outra questão.

Serviço:
Fabiana Visacro
(31) 9 8315-2797
https://www.fabianavisacro.com.br/


<<Voltar